A carga elétrica é uma grandeza física que determina a intensidade das interações eletrostáticas.

Esquema simplificado de um átomo de Hélio. Os elétrons são representados pelas esferas vermelhas que orbitam o núcleo, constituído de prótons e nêutrons (esferas azuis e verdes). Os elétrons, por estarem na periferia são "mais fáceis" de serem "arrancados". Já o núcleo, é mais fortemente conectado e é díficil de ser desmembrado. Existem modelos mais modernos de átomos desenvolvidos na teoria conhecida como Mecânica Quântica, mas para muitas aplicações este modelo mais simples é suficiente para descrever bem vários fenômenos físicos.

Carga Elétrica

Tipos de cargas elétricas
Só existem dois tipos, positiva e negativa.
Princípio de Du Fay
Dois corpos eletrizados com tipos diferentes de carga (um positivo e outro negativo), atraem-se. Com a mesma carga (ambos positivos ou ambos negativos), repelem-se.
Ilustração das forças entre corpos eletrizados. a) corpos de carga oposta se atraem e b) corpos de mesma carga se repelem.
Conservação da carga elétrica
A carga total não varia para qualquer processo realizado dentro de um sistema isolado.
Quantização da carga elétrica
Todas as cargas observadas na natureza são iguais ou são múltiplas da carga elementar \(e\).
Carga elétrica elementar
Elétron: \(-e\) (carga elementar negativa)
Próton: \(+e\) (carga elementar positiva)
onde \(e = 1,6 \times 10^{-19} C\) .
A unidade de carga elétrica, no SI, é o Coulomb (C).

Quantidade de carga \((Q)\)

A carga líquida que um corpo possui é igual ao número de excesso de cargas elementares (positivas ou negativas) vezes o valor da carga elementar, ou seja: \begin{equation} Q = n e, \end{equation} onde \(n\) é o número de elétrons cedidos ou recebidos e \(e\) é o valor da carga elementar.

Todo átomo está eletricamente neutro se o seu número de prótons é igual ao de elétrons.