Um aparelho que pode transformar energia elétrica em outra modalidade é denominado receptor. Exemplos de aparelhos receptores são: ferro de passar, ventilador, motor elétrico, geladeira, computador, etc.

Receptores

Os receptores são divididos e dois tipos.

Receptor passivo:
Transforma energia elétrica exclusivamente em calor. São exemplos de receptores passivos: os resistores, chuveiros elétricos, aquecedores elétricos etc.
Receptor ativo:
Transforma energia elétrica em outra modalidade de energia além da térmica. É importante lembrar que é inevitável que qualquer gerador dissipe calor. São exemplos de receptores ativos: motores elétricos, lâmpadas, multímetros, computadores etc

Diferente de um gerador, que cria uma diferença de potencial chamada de "força" eletromotriz, um receptor apresenta uma "força" contra eletromotriz.

Força contra eletromotriz \((\varepsilon)\) :
Também abreviada como f.c.e.m., é a energia cedida, por unidade de carga, da corrente ao receptor, para ser totalmente transformada em outra modalidade de energia que não a térmica. A f.c.e.m. representa um decréscimo de potencial elétrico entre as cargas da corrente ao atravessarem o receptor.
Por razões históricas o termo "força" aparece no nome desta grandeza, mas se trata de uma queda de potencial. Ou seja, é medida em Volts (V).

Potências em receptores

Potência dissipada \((P_d)\) :
É a potencia elétrica desperdiçada pelo receptor, por ter uma resistência interna \(r\) (dissipação interna). Significa quantos joules de energia elétrica são dissipados por segundo, inutilmente, dentro do receptor. Matematicamente $$P_d = r i^2.$$
Potência útil \((P_u)\) :
A potência elétrica que o receptor efetivamente converte em potência não térmica. Significa quantos joules por segundo são convertidos em energia não térmica. $$ P_u = \varepsilon i$$
Potência total \((P_T)\) :
É a soma da potência dissipada mais a potencia útil: $$ P_T = P_u + P_d = \varepsilon i + r i^2$$ onde \(r\) é a resistência interna do receptor.